Please select your country / region

Close Window
GT
Comunidade do GT SPORT
BR

Dodge SRT Tomahawk Vision Gran Turismo

Dodge SRT Tomahawk Vision Gran Turismo
Lançado originalmente no Gran Turismo 6 em June 26, 2015

Vídeo(s)

Galeria

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Descrição do carro

O SRT Tomahawk Vision Gran Turismo é a visão de um desempenho automotivo futurista, sem limites ou precedentes, com 20 anos de antecedência. É a fusão virtual do automobilismo extremo com o design deslumbrante. O Tomahawk é um MR-AWD ("Mid-Rear engine, All-Wheel-Drive", motor central-traseiro, tração integral) monoposto, construído em um chassi composto feito sob medida e projetado em torno de um design de motor agressivo.
A motivação para o Tomahawk vem de duas fontes:
• O motor principal é praticamente plano, indo a 144 graus e com 6.98 litros em um V10 que gera um excedente de 1.000 cavalos-força.
• A potência auxiliar é armazenada em dois cilindros pneumáticos compostos que se estendem por quase toda a base da roda. Cada uma das rodas dianteiras está conectada a uma Unidade de Potência Pneumática Quádrupla de Aletas Variáveis, que pode armazenar e liberar potência pneumática com extrema rapidez. Uma Unidade de Potência semelhante está conectada ao motor V10. O sistema fornece ao Tomahawk a capacidade de tração integral para melhorar o desempenho nas curvas e a aceleração quando a aderência das rodas traseiras é limitada.
O chassi composto de peso leve do Tomahawk use materiais avançados como nanofibras de carbono e estruturas com microrretículas de grafeno. Todos os elementos transparentes do Tomahawk são feitos de tecidos de grafeno, incluindo o cockpit e as janelas de cobertura do motor. O para-brisa baixo de grafeno possibilita uma visão limpa e digital de todos os instrumentos e comunicações do veículo na frente do piloto, como é necessário. Os cilindros pneumáticos com filamentos são elementos estruturais integrais laminados dentro do chassi. Todo o design do veículo, desde a posição inferior do piloto ao layout quase plano do motor V10, é projetado para atingir o mais baixo centro de gravidade possível.
A dinâmica de manuseio do Tomahawk foi melhorada por um sistema aerodinâmico continuamente ativo, que emprega múltiplos elementos de direção pneumática, incluindo um aerofólio traseiro e um separador secundário dianteiro. Esses painéis aéreos se ajustam constantemente às condições da pista e aos comandos do piloto para oferecer o mais alto nível de força descendente e os mais baixos níveis de arraste, quando necessário. O sistema aerodinâmico do Tomahawk reage aos comandos fornecidos por um sistema de rastreamento via laser que detecta as mudanças na superfície à frente do veículo. Os controles do computador antecipam mudanças na altura em relação ao solo, na inclinação e na guinada, e ajustam o separador de acordo.
O exaustor do motor V10 está conectado ao difusor traseiro numa série de tubos pareados. O fluxo do exaustor funciona em conjunto com o sistema aerodinâmico ativo para oferecer uma aceleração de fluxo na parte inferior da carroceria, na traseira do carro e criar um efeito de difusão que aumenta a força descendente sem efeito negativo no arraste.
A suspensão do Tomahawk também usa o sistema pneumático de várias maneiras: O veículo é sustentado por uma série de molas pneumáticas variáveis, que também oferecem um balanço e um amortecimento reforçado. Além disso, o Tomahawk inclui um sistema de cambagem ativa no qual as juntas das rodas se ajustam para rebaixar o veículo nas curvas, com cada roda desenvolvendo um ângulo para fora ou para dentro a fim de manter a máxima aderência do pneu no contato com a pista.
SRT Tomahawk S Vision Gran Turismo
A variante S sustenta as empolgantes capacidades do protótipo Tomahawk em um formato acessível e pronto para as ruas. O S também poderia ter o significado secundário de "Start". O Tomahawk S é um ótimo lugar para começar antes de se arriscar nas versões mais extremas como a GTS-R e X. A relação peso-potência do Tomahawk S é extrema para os padrões de hoje, mas seu limite total de desempenho pode ser atingido sem o uso de um G-suit. Fora isso, o Tomahawk S exige que cada sinapse do seu cérebro esteja focada na pista para atingir os incríveis tempos de volta que esse carro oferece.
O Tomahawk S inclui a versão de baixa potência do V10 de 6,98 litros e do sistema de energia pneumática, mas mesmo assim esse Tomahawk "iniciante" produz mais de 1.000 cavalos-força. Ele vem equipado com um separador dianteiro ativo e um spoiler traseiro integrados na carroceria.
SRT Tomahawk GTS-R Vision Gran Turismo
Todo carro esportivo de verdade precisa ser projetado para ter uma versão automobilística. O GTS-R é o modelo mais leve e pronto para as corridas do protótipo Tomahawk. Devido à sua potência aumentada, peso reduzido e manuseio aderente, o Tomahawk GTS-R exige um traje de corrida especial que possa ser pressurizado para equilibrar os efeitos fisiológicos das forças-g laterais extremas. O ágil G-suit é pressurizado com uma pequena ajuda do sistema pneumático de alta capacidade do carro.
A aerodinâmica do Tomahawk GTS-R foi melhorada com uma versão de dois elementos do aerofólio traseiro. O elemento superior fica armazenado abaixo do inferior quando não for usado ou quando manobras de alta velocidade/pouco arraste forem executadas. Cada um dos quatro para-choques é ventilado para evitar a pressurização nas rodas.
SRT Tomahawk X Vision Gran Turismo
O X é a última palavra quando se fala em desempenho extremo. Ele eleva a capacidade de desempenho do Tomahawk ao limite dos reflexos humanos e à fronteira da fisiologia humana. Mesmo com o auxílio do G-suit, um programa extensivo de sete meses é necessário para dar condições ao piloto para comandar o experimental Tomahawk X a 10/10 ths. Apenas os pilotos mais capacitados são considerados para o programa de treinamento.
Os níveis colossais de aceleração lateral são alcançados com a ajuda do sistema aerodinâmico do Tomahawk X, que inclui nove painéis aerodinâmicos atuando independentemente. Além do aerofólio traseiro de dois elementos e do separador inferior, o X é equipado com painéis de aerofólios para curvas que são empregados acima das quatro rodas. Há também dois painéis de leme localizados em cada saia traseira. Os aerofólios laterais e os painéis de leme trabalham em conjunto com o aerofólio traseiro e o separador para criar não só grandes quantidades de força descendente vertical, mas também o efeito revolucionário da força de guinada: uma força que torce lateralmente o ar e envia o carro nesse espaço, quase como um avião. Além da força descendente e da força de guinada, os painéis podem ser empregados em modo de frenagem para alto arraste. Os painéis brotam do veículo para sua extensão máxima, quase dobrando a área frontal projetada do carro em um paraquedas de painéis compostos.
No modo de baixo arraste, todos os painéis do X são retraídos e se colam ao corpo do veículo. Conforme ele se aproxima da velocidade terminal, a pressão pneumática restante pode ser liberada para a lateral e a traseira do veículo a fim de modificar ou diminuir o tamanho da turbulência traseira. Isso aumenta ainda mais o arraste aerodinâmico a fim de levar o Tomahawk à velocidade máxima. A potência do motor V10 foi melhorada para mais de 2.000 cavalos-força. Com cilindros pneumáticos completamente carregados, a potência total da tração integral é aumentada para mais de 2.500 cavalos-força, o que pode impulsionar o Tomahawk a níveis previamente inimagináveis de velocidade.

Links relacionados